Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

365 dias

Lanchar em Sintra

Cafe Saudade.jpg

Quando penso no que gosto no Outono vem me automaticamente à cabeça os passeios pela natureza com cheiro intenso a terra molhada, os fins-de-semana com pequenos-almoços demorados que se arrastam pela hora do almoço, os lanches de fim de tarde e os dias coloridos de castanhos e dourados antes da chegada daquela que é a estação mais cinzenta do ano.

E para não fugir à regra este fim-de-semana fomos mais uma vez até Sintra fazer uma caminhada e repor as energias no meio da natureza.

O passeio teve como paragem obrigatória um lanche a meio da tarde no Café Saudade, um dos mais charmosos cafés desta vila.

Localizado na avenida Miguel Bombarda, muito perto da estação de comboios, este pequeno tesouro de Sintra tem a vantagem de se afastar um pouco do coração da vila tornando o espaço mais sossegado do que é habitual por estas bandas (pelo menos nesta altura do ano).

Quem entra no café Saudade é imediatamente invadido por um sentimento nostálgico num reencontro visual com o passado. Reconhecemos uns objectos e relembramos outros que já nem nos lembrávamos da sua existência.

Quando chegámos ainda havia lugar para sentar, espaço para escolher a mesa e tempo para nos atenderem (o que em Sintra é um privilégio).

Já não fomos a tempo do brunch que servem todos os dias e por isso pedimos um chocolate quente, um café afogado e para acompanhar uma fatia de um delicioso bolo de chocolate com frutos silvestres. O chocolate quente era espesso e forte como eu gosto, o café afogado era um reconfortante café com uma bola de gelado finalizado com natas e o bolo era de textura forte e macia, onde se misturavam o doce do chocolate e a acidez dos frutos.

 

cafe saudade 4.jpg

O menu está repleto de coisas boas e apetecíveis como os scones gigantes, os bolos caseiros à fatia que vão variando conforme os dias, as muitas variedades de chá, café, cappuccinos, chocolates quentes e muitas outras coisas que valem bem a pena experimentar.

O café surgiu no edifício da antiga fábrica das queijadas de Sintra ou “Queijadas da Mathilde” da qual manteve a traça original e muitos elementos da sua decoração.

O espaço foi decorado com elementos vintage misturando peças tradicionais do artesanato português com alguns elementos resgatados ao passado, ao tempo onde ali ainda funcionava a fábrica de queijadas da Mathilde (é o caso do balcão de atendimento logo à entrada).

 

Cafe Saudade 3.jpg

 

O edifício manteve a traça original e divide-se em pequenas divisões, numa espécie de labirinto com cantos e recantos bem decorados que nos fazem sentir como se estivéssemos em casa.

O ambiente é descontraído e a simpatia dos funcionários não deixa ninguém indiferente que em tom de brincadeira nos desafiaram a decifrar as silabas trabalhadas no tecto da sala principal…. Com alguma ajuda lá chegámos à palavra MA-TH-IL-DE dividida silabicamente pelos 4 cantos da cobertura e que nos remete mais uma vez ao nome da fundadora de uma das mais antigas fábrica de queijadas de Sintra (1888-1974).

Cafe Saudade 2.jpgCafe Saudade 1.jpg

 

Numa autêntica viagem ao passado parámos no tempo por umas horas, lanchámos, conversámos e enchemos a alma de coisas bonitas.

Bom para matar saudades das memórias de outros tempos.

Instagram

As cores do Outono

2K5A2078A.JPG

 

Não tenho estações do ano favoritas mas gosto especialmente da Primavera e do Outono por serem inícios de um novo ciclo que trazem mudanças e incitam à renovação.

E é tão bom iniciar ciclos. 

Do outono guardo as memórias da escola primária, o cheiro a terra molhada, o giz a raspar no quadro (sim! sou do tempo dos quadros em ardósia), as galochas quase até ao joelho e o chapinhar nas poças de água a caminho de casa depois das aulas, o cheiro a castanhas assadas nas ruas, os assados e a canja de galinha.

Guardo também os grandes corredores de plátanos em tons de castanho e dourado que cobriam as avenidas a caminho da escola e que começavam agora a despir-se.

Misturo tudo isto na minha cabeça, junto uns camisolões de lã tricotados à mão pela minha avó (geralmente dois numeros acima do meu) e chamo-lhe Outono...

Vá-se lá saber porquê!!!!

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sobre Mim

Olá! Criei este espaço para partilhar momentos, fotografias, viagens e locais que vou conhecendo. Todas as fotos publicadas são da autoria do 365dias... espero que gostem!

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D